Constipação intestinal

O que é intestino preso? O intestino preso, também conhecido como prisão de ventre ou constipação intestinal, se caracteriza pela dificuldade em evacuar, evacuação incompleta e fezes endurecidas, em geral causado pela má alimentação.

Enquanto os alimentos que são consumidos passam pelo sistema digestivo, os nutrientes e a água que estão presentes neles vão sendo progressivamente absorvidos pelo organismo. Aquilo que não é aproveitado pelo corpo forma o bolo fecal, na qual é empurrado para fora através de contrações musculares da parede do intestino.

Quando esses movimentos ficam mais debilitados, há um acúmulo de material não digerido no intestino, que pode causar uma reabsorção de água e um endurecimento desses resíduos.

Cerca de 20% da população mundial sofre com esse transtorno, atingindo principalmente mulheres e idosos.

Tipos
Existem dois tipos de constipação: a orgânica, também conhecida como brutal, e a funcional, também conhecida como constipação crônica.

Orgânica/brutal
O ritmo do intestino depende de mudanças na estruturais do intestino grosso, anorretais, perineais ou de seus elementos neuro-motores. Ocorre por bloqueio paralítico ou mecânico do intestino em consequência de aderências, tumores do intestino, estreitamento do ânus ou processos inflamatórios.

Basicamente ocorre quando o corpo passa por mudanças físicas, lembrando que existe a possibilidade da constipação ser ocasionada pelo uso de medicamentos com efeito potencialmente constipante.

Funcional/crônica

Causada por maus hábitos intestinais e alimentares, distúrbio emocional, sedentarismo, cólon irritável e colite espástica. Não é associada às demais mudanças das outras vísceras do sistema digestório.

O que causa o intestino preso?

O bom funcionamento do intestino está ligado diretamente com o estilo de vida das pessoas. O consumo insuficiente de líquidos e de fibras, alimentações ricas apenas em proteínas ou com muito amido, o sedentarismo, o uso de alguns medicamentos, fatores psicológicos, segurar a vontade de ir ao banheiro e até mesmo o modo como as pessoas sentam no vaso sanitário para evacuar podem contribuir para se ter prisão de ventre.

Algumas condições médicas específicas podem contribuir para se ter prisão de ventre também, são elas:

Síndrome do Intestino Irritável;

Efeito colateral do Diabetes;

Hipotireoidismo;

Períodos prolongados de febre;

Parasitas intestinais;

Diverticulite;

Uso indiscriminado de laxantes;

Colite (inflamação no intestino grosso).

Grupos e fatores de risco
Embora afete ambos os sexos dentre todas as idades, é comum esse transtorno aparecer mais em mulheres e em idosos.

Mulheres
Os hormônios sexuais femininos influenciam muito no intestino, deixando-o preguiçoso já no período menstrual. Gravidez e menopausa também auxiliam na constipação intestinal para as mulheres. Na gravidez, o útero pressiona o reto e a porção inferior do cólon, atrapalhando o trânsito intestinal.

Além de motivos biológicos e hormonais, a timidez, presente principalmente nas mulheres, ajuda bastante a causar o distúrbio, pois ir ao banheiro longe de casa torna-se um problema.

Idosos
A falta de atividade física e o consumo de alguns medicamentos contribuem para que as pessoas com mais idade tenham constipação intestinal.

Hipotireoidismo
O baixo nível de hormônio tireoidiano prejudica o movimento do intestino grosso. Por isso, pessoas que possuem hipotireoidismo, ou seja, pequena produção de hormônios, consequentemente tem uma digestão mais devagar, o que pode levar a constipação intestinal.

Diabetes

Controlar a diabetes é de extrema importância para evitar o intestino preso. A doença causa danos em alguns nervos do corpo nos quais influenciam nos estímulos para que o intestino funcione de maneira adequada.

Outros fatores
O uso de medicamentos como analgésicos e antidepressivos e até a presença de tumores no intestino grosso podem igualmente provocar a constipação.

Sintomas
De fato, não podemos estipular um número exato de dias que uma pessoa pode ficar sem evacuar para determinar se ela tem, ou não, o intestino preso, pois isso é muito pessoal. É possível que haja pessoas que evacuem todos os dias e mesmo assim possuem o transtorno, mas se o número for inferior a 3 vezes semanais é considerado constipação.

Esforço excessivo para evacuar, fezes ressecadas e endurecidas, sensação de evacuação incompleta, dor e inchaço abdominal, gases, indisposição, mau humor e distúrbios digestivos são os principais sintomas da constipação intestinal.

Como é feito o diagnóstico do intestino preso?
O profissional mais indicado para este tipo de distúrbio é o gastroenterologista, que cuida do aparelho digestivo. Na maioria das vezes, a constipação intestinal é funcional, ou seja, associada principalmente a má alimentação e ao comportamento retentivo.

Contudo, um médico poderá avaliar se a constipação pode ser de causa orgânica, neste caso o transtorno pode estar associado a outras doenças como hipotireoidismo, doença celíaca, colite, entre outras.

A colonoscopia, um exame endoscópico usado para detectar problemas no intestino grosso, pode ajudar a ver se a pessoa tem um intestino maior do que deveria, ou seja, ver se a pessoa tem intestino preso orgânico/brutal. O exame ajuda, também, a ver se há nódulos e demais fatores que podem dificultar a passagem do bolo fecal.

Qual o tratamento para o intestino preso?

Aumentar a ingestão de líquidos, adicionar mais fibras à sua dieta e praticar exercícios físicos. Basicamente essas três medidas são indispensáveis e devem andar sempre juntas para se ter um bom funcionamento intestinal.

Beba mais líquidos
80% das fezes é composta por água, o líquido hidrata o bolo fecal, evitando que ele fique ressecado, ajuda na digestão das fibras e consequentemente no trânsito intestinal. Cuidado com o excesso de bebidas cafeinadas e alcoólicas, pois causam desidratação.

Coma mais fibras
As fibras auxiliam na formação do bolo fecal. Alimentos como frutas, legumes e verduras são de extrema importância para nossa saúde, são ótimas fontes de fibras e ainda não possuem muito estímulo energético. Além dos cereais integrais, como sementes de linhaça, aveia, pão integral, entre outros, que também são ótimas opções.

Frutas como ameixas e mamão são considerados alimentos com efeito laxante, pois são ricos em fibras e água. O ideal é consumi-los diariamente, para mobilizar o bolo fecal e combater o intestino preso.

É bom evitar, ou pelo menos moderar, alimentos que contém muito amido, alimentos processados, laticínios, alimentos muito gordurosos, muito apimentados e dietas a base de proteínas. Além de possuírem baixo teor de fibras, provocam a mucosa intestinal e acidificam o pH do intestino, o que dificulta seu funcionamento.

Segundo o Ministério da Saúde, um adulto precisa em média de 25 a 30 gramas de fibras diariamente. Alguns dos alimentos mais ricos em fibras são:

Frutas como mamão, laranja (com bagaço), ameixa e abacaxi;

Feijão preto, grão-de-bico, lentilha, soja e arroz integral;

Verduras e legumes como abóbora, brócolis, berinjela, alcachofra, milho cozido, espinafre e couve;

Chia: uma colher de sobremesa possui mais de 6 gramas de fibra;

Aveia, pipoca, batata doce com casca e nozes;

Linhaça (deixe de molho na água por algumas horas).

Pratique mais exercícios físicos
A atividade física faz com que o corpo funcione melhor. Corridas, caminhadas, natação, entre outras diversas opções, estimulam o movimento peristáltico, que é o responsável pelo intestino, fazendo com que o bolo fecal seja expulso do nosso organismo.

Além disso, a prática dessas atividades alivia a tensão, o estresse e o mau humor, melhorando a qualidade de vida em um modo geral.

Não segure a vontade
É comum muitas pessoas ficarem com o intestino preso quando estão longe de casa. Nesse caso as causas estão ligadas ao psicológico, por sentirem vergonha de ir em outros banheiros. O ideal é nunca segurar a vontade.

Quando não se evacua ao primeiro estímulo, as fezes recuam de uma porção mais final do reto para o segmento acima, o cólon sigmóide, que absorve a água presente nas fezes, fazendo com que elas voltem mais ressecadas ao reto no próximo estímulo. Quando esse comportamento vira um hábito, o organismo se acostuma com um bolo fecal maior e passa a não mandar mais o sinal para ir ao banheiro.

Educar o organismo, escolhendo sempre um mesmo horário para ir ao banheiro, sentar no vaso sanitário e passar alguns minutos lá, mesmo sem estar com vontade de evacuar, são boas opções que também contribuem para se ter um bom resultado.

Medicamentos para intestino preso
Para soltar o intestino, os medicamentos mais usados são:

Brometo de Pinavério;

BuscoDuo;

Digestil (gotas);

Muvinlax.

Atenção

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico.

Fonte: https://minutosaudavel.com.br/prisao-de-ventre-intestino-presoconstipacao-o-que-e-e-remedios/

O principal propulsor para o sucesso de um médico é o seu paciente. Sabendo disso, é imprescindível nutrir uma boa relação com ele.

Por Dra. Nathália Belarmino

Agende sua consulta